Economia Circular: repense o desperdício

scrapyard-2441432.jpg

Antes de descobrir o que é a economia circular é necessário entender o processo econômico linear, em prática há quase 200 anos no mundo todo.

No processo linear, a maneira como os produtos são produzidos e consumidos é basicamente a mesma. Independente do que está sendo fabricado, o primeiro passo é a extração de matéria-prima na natureza. Mais tarde, essa matéria-prima é levada até uma fábrica onde será transformada em produto final. Os produtos são postos à venda e após a compra são utilizados pelos consumidores. Alguns itens são feitos para durar por muitos anos, mas a maioria tem uma vida útil programada cada vez mais curta. Mesmo aqueles mais complexos e caros, seguem a lógica da obsolescência programada. Ou seja, um tempo de uso muito curto. Esse tipo de economia se baseia em extração, consumo e descarte.

Já falamos aqui que em 2018 o planeta Terra atingiu seu dia de sobrecarga em 1º de agosto. A cada ano que passa esse dia chega mais cedo. Isso significa que anualmente o ser humano gasta recursos do planeta em um ritmo que a Terra é incapaz de repor. Não é preciso ser ambientalista para saber que esse tipo de produção despreocupada com o desgaste dos recursos naturais não tem como se sustentar por muito tempo.

É aí que entra a ideia de economia circular, que visa redefinir o crescimento, trazendo inúmeros benefícios para a sociedade. Entre os ideais da economia circular estão a redução, reutilização e a reciclagem de elementos. O objetivo é minimizar a produção e encorajar a reutilização dos elementos que não podem retornar ao meio ambiente.

Ou seja, a economia circular promove o uso do maior número de materiais biodegradáveis quanto possível na fabricação de produtos. Dessa froma, permite que os resíduos voltem à natureza sem causar danos ambientais ao final da vida útil desses produtos.

No caso da indústria de eletrônicos, hardware e baterias, em que não é sempre possível utilizar materiais ecologicamente corretos na fabricação, o objetivo é dar-lhes uma nova vida, reintroduzindo-os no ciclo de produção e criando uma nova peça. Quando todas essas opções não forem possíveis, os produtos serão reciclados de maneira respeitosa com o meio ambiente.

Os três princípios da Economia Circular são:

-Eliminar resíduos e poluição por princípio

-Manter produtos e materiais em ciclos de uso

-Regenerar sistemas naturais

É possível dizer que economia circular imita a natureza no processo de produção. E como na natureza não há desperdício, nesse tipo de economia a meta é reintegrar os produtos no ciclo de nascimento, crescimento e morte.

Adotar a economia circular não é apenas reduzir os impactos negativos da economia linear. Pelo contrário, representa uma mudança no sistema que gera oportunidades comerciais e econômicas e proporciona benefícios no meio ambiente e na sociedade.

Empresas que começaram a adotar o modelo circular:

Energizer

As baterias são difíceis de reciclar, graças à sua complicada química, fazendo com que elas sejam classificadas como materiais perigosos. É por isso que cerca de 180.000 toneladas de baterias acabam nos aterros dos EUA todos os anos. Atualmente, a maioria das baterias é reduzida em materiais para a construção de estradas e tampas de aterros sanitários.

Energizer fez algumas das primeiras incursões na aplicação de princípios econômicos circulares às suas baterias, tendo produzido a EcoAdvanced - a primeira bateria do mundo feita com 4% de baterias recicladas.

Coca-Cola

Em seu aniversário de 100 anos a Coca-Cola firmou uma parceria com a empresa Verallia para derreter os vidros de suas garrafas. O vidro derretido foi utilizado para a criação de novas embalagens, demonstrando um reaproveitamento de 100%.

Apple

Todas as lojas da Apple aceitam produtos da marca para reciclagem. O Apple Renew oferece créditos aos clientes que trouxerem aparelhos de celular antigos, para que eles consigam comprar aparelhos novos por valores mais baixos.

Outras empresas como Danone, Renault, Nike, Philips, Google e Unilever têm parceria com a fundação Ellen MacArthur, especializada em difundir e apoiar a mudança das empresas para o modelo circular.

A economia circular nasce pensando o processo onde a linear parou. O pós-consumo. Nada mais pode ser desenhado para ser jogado fora, afinal, não existe fora. Todos os produtos passam a ser pensados para no final da vida útil serem reintegrados à produção. Através do processo circular o conceito de lixo deixa de existir, e junto com ele todos os problemas ambientais que ele gera.

Gostou do post? Quer saber mais sobre economia circular? Acesse o site da Fundação Ellen MacArthur.