Coworking

8 Dicas para uma reunião de sucesso

A escolha do local é um dos fatores primordiais para o sucesso de uma reunião

A escolha do local é um dos fatores primordiais para o sucesso de uma reunião

A reunião é a oportunidade ideal para apresentar produtos e serviços, propostas, fechar negócios e até mesmo ampliar o networking. Qualquer que seja sua função, uma reunião bem executada pode gerar resultados muito positivos, por isso antes de sair marcando a sua, aconselhamos que você siga essas 8 dicas:

1. Prepare-se:

Toda reunião bem-sucedida depende de um preparo anterior, por isso estude. Ainda que o cliente esteja dando todos os indícios de interesse em seu produto ou serviço e o negócio pareça fechado, é mais que necessário se preparar. Pesquise quem é o seu cliente, descubra o que ele tem feito, como é seu perfil e de acordo com os dados adquiridos será possível montar uma proposta personalizada, que atenda todos os seus critérios e que dificilmente será recusada.

2. Deixe bem claro o objetivo da reunião:

Desde o início estabeleça o objetivo da reunião e a duração da mesma. Dessa forma o tempo será otimizado e nenhum tópico será esquecido. O maior erro de iniciar uma reunião sem estabelecer os objetivos e delimitar o tempo é chegar ao fim e perceber que os assuntos mais importantes não foram discutidos. Outro erro do não planejamento é falar muito em tópicos que não há tanta necessidade, tornando a reunião maçante e tediosa.  

3. Tenha foco no que interessa, negócios:

Durante a reunião é possível que seu cliente fale de assuntos que não têm nenhuma relação com os pontos a serem abordados no encontro. Sua tarefa é não permitir que esse tipo de conversa se estenda. É claro que em alguns momentos, principalmente nos primeiros minutos, falar sobre o tempo, futebol, atualidades possa ser um bom quebra-gelo, mas não permita que isso se torne recorrente. Esteja sempre no controle e traga o cliente para o foco principal, seu produto ou serviço.

4. Anote tudo que é importante:

Claro que você não vai passar a reunião inteira de cabeça baixa anotando todas as palavras que o cliente está dizendo, mas procure assinalar suas declarações mais importantes. Essa é uma forma de mostrar que se importa com o que ele pensa, com o que é relevante para ele.

5. Traga conhecimento:

Procure levar alguma informação relevante para a reunião. Um artigo, dados estatísticos interessantes, notícias atuais, algo que agregue conhecimento e mostre que você sabe com propriedade o assunto que está discutindo. É necessário que seu cliente saia com a sensação de ter aprendido algo, do contrário, a reunião parece não ter rendido e você pode sair como despreparado.

6. Fale, mas também saiba ouvir:

Não fale o tempo todo, mas também não fique calado. Até mesmo em uma reunião cujo o foco é vender é necessário ouvir o que o cliente fala. Procure saber quais são suas necessidades, suas maiores dificuldades e com base nisso sugira soluções para esses problemas que envolvam o produto/serviço que você está apresentando.

7. Defina o próximo passo:

É importante que ao final da reunião você defina os próximos passos. Isso é indispensável para que o negócio flua, não fique estagnado e continue caminhando para o fechamento.

8. Escolha muito bem o local:

A última e mais importante dica para uma reunião bem-sucedida é o local. Escolha muita bem o ambiente em que o encontro será realizado. Opte por um espaço bem localizado, de fácil acesso e com um aspecto que agrade aos olhos do seu cliente. O Círculo Coworking dispõe de três modelos de sala de reunião. A Coach, para duas pessoas, a atitude, para quatro e a ação, para até 12 pessoas. Os ambientes do Círculo se adaptam perfeitamente à sua necessidade e tem toda a estrutura para encantar de vez seus clientes.

6 Razões para você migrar para um Coworking agora!

coworkers Desde sua criação, em 2005, o espaço de trabalho Coworking é cada vez mais visado por profissionais que buscam praticidade e inovação. No Brasil há 1194 escritórios coworking conhecidos espalhados por 26 estados e em 169 municípios diferentes. Esse número representa um crescimento de 48% em relação ao ano passado, em que somavam 810.

Uma estimativa feita pelo site Coworking Brasil constatou que mais de 200 mil pessoas circulam por esses espaços todos os meses. Mas o que explica esses números? Essa popularidade não se deu à toa. Há cada vez mais empresas de olho nesses locais e em busca dos benefícios que oferecem.

Se você é um profissional freelancer, está começando seu próprio negócio ou se acha que sua empresa pode reduzir os gastos deveria ver as 6 razões que listamos para você migrar para um Coworking agora mesmo!

 

  • 1- Se preocupe menos

O custo de sua empresa em um escritório particular é sem dúvida muito maior que em um espaço compartilhado.  Além de oferecer um valor bem mais acessível de locação, quando chega o final do mês você não precisa se preocupar com a conta de luz, água, internet e telefone. No fim das contas tudo que você tem que se preocupar é com seu trabalho, o resto o Coworking faz por você!

  • 2- Adquira conhecimento

A oportunidade de estar em contato com profissionais de diversas áreas de atuação possibilita um crescimento muito grande. Você pode receber dicas, feedbacks e consultas de especialistas sem sair da sua cadeira. O serviço que você precisa muitas vezes pode estar na mesma sala. Além disso, há espaços que oferecem cursos e workshops sobre temas relevantes que podem te interessar.

  • 3- Esteja sempre ao alcance

Uma boa localização faz toda diferença. Até para você que é freelancer, receber um cliente em casa para uma reunião não parece ser uma boa opção. O Coworking está sempre bem localizado, perto do seu cliente e com acesso facilitado.  Se você é do tipo que quase nunca está entre quatro paredes e precisa de alguém para atender suas ligações, transferi-las ou anotar os recados quando não puder atender, existem espaços Coworking que utilizam o serviço de escritório virtual com atendimento telefônico personalizado para atender suas necessidades. É o caso do Círculo Coworking, em Niterói, que oferece o Círculo virtual.

  • 4- Encante seu cliente

Um cliente satisfeito é a melhor propaganda para o seu negócio e isso tem muito a ver com o local onde você trabalha. Os espaços coworking são locais muito bem decorados e aconchegantes que transmitem conforto e credibilidade. Os serviços de recepção também contam muito. Qual cliente não gosta de ser recebido com um cafezinho, chá ou uma água geladinha? Isso interfere e muito nos resultados e pode ser o motivo do seu sucesso.

  • 5- Networking e mais Networking

Networking é a palavra mais falada no dia a dia dos empreendedores e sem dúvida uma das coisas mais visadas para quem deseja alavancar seu negócio. Num coworking é natural ter contato com profissionais da sua área de atuação e de muitas outras, ouvir histórias de sucesso e fracasso e trocar experiências. Essa troca pode te ajudar a entender o mercado na prática e se posicionar melhor. É também uma chance de encontrar diversos clientes em potencial. Se o seu foco é conhecer pessoas, esse é o lugar.

  • 6- Estimule sua criatividade e produza mais

Focar somente no seu trabalho, sem interrupções de terceiros é algo que você raramente consegue em um home office. É muito mais fácil gerar resultados quando você trabalha num local onde tudo é pensado e organizado para sua criatividade fluir.  Há sempre cantinhos para dar um break e tomar um café quando precisar de um gás a mais no trabalho. Além do convívio com pessoas, que te ajuda a ter ideias e insights legais e te manter sempre antenado em tudo que é novidade.

 

E aí? Gostou dos benefícios que só um espaço coworking pode oferecer? Quer uma dica? Agende um dia grátis e visite o Círculo

 Mergulhe nesse novo jeito de trabalhar!

 

Por David Prado

 

 

Por que é importante dar um break no trabalho?

  break time

Em busca da produtividade, da aceleração dos resultados e dos prazos cada vez menores para a realização de tarefas esquecemos o papel essencial do famoso break em nossa rotina de trabalho.

Já reparou que há dias em que nada parece fluir? Sua cabeça está tão cheia que não consegue nem pensar direito? Então. Por quanto tempo você está encarando a tela do computador sentado de maneira desconfortável? Já levantou para tomar um café, comer ou dialogar com seus colegas de trabalho hoje? Dependendo da resposta, esse pode ser o problema.

Costumamos achar que produtividade está diretamente ligada ao tempo que passamos de fato produzindo, isolados do ambiente ao redor e com foco máximo na realização de determinada atividade, mas a verdade é que não somos máquinas. Nosso cérebro necessita de descanso.

Em inúmeros casos, a cobrança excessiva de resultados e crença de que o profissional é um robô acaba provocando o efeito contrário: Improdutividade e procrastinação. Dar um tempo ao cérebro pode ser muito vantajoso.

Alguns dos benefícios desse hábito são:

MENOS ESTRESSE

Fazer simples alongamentos durante um período de pausa ajuda seu corpo a aguentar melhor a pressão do dia-a-dia, além de amenizar os danos causados pela falta de postura. Cerca de 10 minutos já são o suficiente para diminuir o estresse e as dores no corpo e aumentar a produtividade.

AUMENTO DA CRIATIVIDADE

As pausas representam uma boa oportunidade para relaxar e reorganizar as ideias. Quando voltam, os profissionais estão mais preparados para pensar em soluções e encontram formas criativas para resolução de problemas.

MELHORA NO CLIMA DA EMPRESA

O estresse somado à exaustão pode contribuir para o desgaste emocional de toda a equipe, o que provocará a contaminação do ambiente de trabalho. Isso incita a alta rotatividade e improdutividade. Um tempo para respirar ajuda a acalmar os ânimos.

OPORTUNIDADE DE NETWORK

O Momento de descanso também é a oportunidade para os profissionais se conhecerem, trocarem experiências e fazerem networks. Aqui no Círculo Coworking o ambiente preferido dos coworkers é a nossa área externa, onde sempre acontece um bate-papo descontraído somado a um café e muitas ideias.

Coworkers do Círculo em momento descontraído durante pausa do trabalho

Gostou das dicas?  Costuma fazer essas pausas na sua rotina? Te encorajamos a dar pequenos Breaks de 5 minutos no decorrer do dia de trabalho e você notará a diferença nos seus resultados!

 

Abraço e até o próximo post!

 

Por David Prado

 

Dia da Sobrecarga da Terra inspira Sustentabilidade

Biohomecares-What-does-it-mean-to-be-eco-friendly

Biohomecares-What-does-it-mean-to-be-eco-friendly

Hoje é 1º de agosto. Data em que, segundo a ONG Global Footprint Network, a humanidade teria consumido os recursos naturais planejados para todo o ano de 2018. Isso implica dizer que todo solo fértil, todas as árvores, água e qualquer elemento que a Terra é capaz de renovar em um ano já foi esgotado.

O chamado “Dia da Sobrecarga da Terra” é o mais cedo registrado ­­desde que sua contagem foi iniciada, no ano de 1987. Isso significa que desde então, com os avanços tecnológicos, a busca por recursos foi acelerando e com isso o desgaste do planeta.

Em oposição aos números registrados e em tentativa de minimizar os impactos ambientais, empresas têm cada vez mais adotado atitudes sustentáveis através de ações internas em que os próprios funcionários contribuem no processo.

Em termos simples, essas ações visam equilibrar a interferência humana na natureza. Seria uma forma de utilizar dos produtos com responsabilidade, buscando um futuro em que o desenvolvimento seja alcançado levando em conta a preservação do meio ambiente.

É um costume acharmos que a responsabilidade de lutar por um crescimento sustentável é somente dos governantes do nosso país e grandes empresários. Vale ressaltar que pequenas atitudes também fazem a diferença. Todos podem contribuir para um futuro em que natureza e tecnologia coexistam em harmonia.

Em parceria com o Projeto mini gentilezas, iniciativa daONG Argilando, o Círculo Coworking funciona como ponto de coleta de miniaturas de produtos de higiene pessoal desde julho de 2017. Os itens arrecadados são distribuídos pela ONG a moradores de rua de diversas cidades do país. Mais que uma atitude de solidariedade, é uma maneira de reaproveitar algo que muito provavelmente seria jogado no lixo.

Circulo Sustentável

Circulo Sustentável

Aqui no Círculo o Dia de sobrecarga da Terra começou com uma sensação de responsabilidade. Podemos e queremos fazer mais. É por isso que a partir de hoje o Círculo também se torna um ponto de coleta de pilhas usadas para descarte em local adequado.

E você? O que pode fazer?

Pequenas atitudes podem gerar grandes resultados.

Por David Prado.

O empreendedor e o artista

À primeira vista, o empreendedor e o artista nos parecem extremamente distantes. De olhos fechados, vamos partir para o clichê e imaginar o primeiro de roupa social em um escritório, e o segundo bem mais à vontade enquanto trabalha com sua própria arte. Pensando por essa ótica, os dois acabam sendo figuras bem diferentes, praticamente opostos completos, mas basta uma análise mais detalhada para perceber que eles têm mais em comum do que se imagina, ou se pode perceber. Dominar as técnicas para ser um bom empreendedor é sim uma arte, assim como ser artista é ser ligeiramente empreendedor. Antes de tudo, o empreendedor e o artista precisam acreditar no seu próprio potencial e poder de criação, mesmo que ninguém mais acredite. Eles precisam ter a consciência de que possuem uma ideia ou uma vontade que realmente vale a pena e procurar os meios para tirar aquele projeto do papel, muitas vezes sem apoio moral e/ou financeiro. Mas eles não desistem nunca, são mentes inquietas movidas pela paixão e essencialmente por uma ideia.

O que o empreendedor pode aprender com o artista? A ensaiar. Claro que os dois “ensaiam” de maneira diferente, o artista tem seu texto, sua pintura, sua música e buscam aperfeiçoar cada um deles através da repetição. Já o empreendedor precisa aprimorar a técnica, testar, ou seja, tirar uma ideia do papel e ter a consciência de que aquela não é a melhor versão, que sempre vai haver algo a ser mudado para melhor. Ele precisa ser capaz de receber as críticas para crescer, porém e, ao mesmo tempo, julgar suas próprias produções e não “vender” sua ideia.

É sabido que na atual situação em que o país se encontra, o mercado de trabalho está cada vez mais feroz, brutal e competitivo. Temos que matar alguns leões por dia, uma vez que os mecenas do período do Renascimento Cultural (séculos XV e XVI) estão praticamente extintos, ou restritos a investir em marcas já consolidadas. Todos aqueles que trabalham com ideias e concepções individuais do seu próprio trabalho sofrem com a falta de patrocínio, a cultura já está acostumada com essa triste realidade e os pequenos empreendedores também.

Até quando muitas ideias, talvez revolucionárias, ficarão na gaveta? É hora de arregaçar as mangas e fazer arte.

Por Juliana Carrano

 

page

Conhecimento, comunicação e cooperação

Seguindo a onda da sociedade individualista que se instaura no mundo globalizado, o prefixo “co” tem sido esquecido. Ele advém do latim e significa “em companhia, junto de”. No COmeço, as sociedades se organizavam e dividiam as tarefas para que o rendimento final fosse maior e melhor. Não é para defender o modelo fordista, popularizado durante a Revolução Industrial, no qual cada trabalhador exercia roboticamente uma parte do processo, mas, hoje em dia, as pessoas optam por se fechar em suas bolhas de COnhecimento. É cientificamente provado que o ser humano é incapaz de sobreviver sozinho, somos muito mais fracos do que outras espécies humanas e, ainda assim, talvez por vaidade ou orgulho, as pessoas têm dificuldade em pedir ajuda. A soberba e a ganância imperam especialmente no mundo dos negócios.

O filósofo Mario Sergio Cortella vê “A COoperação como valor negocial, ou seja, a importância que agregar forças de modo nítido e isonômico incrementa as competências e recursos e eleva o lugar de cada um em meio a todos”. Assim, ele afirma que o trabalho, quando é COletivizado é capaz de gerar bons resultados para o grupo e ainda incrementar o desenvolvimento pessoal de cada COlaborador.

Um dos maiores problemas de qualquer espaço ou empresa que priorize o individual sobre o coletivo é a falta de COmunicação. Cada cabeça pensante trabalhando sozinha tem uma capacidade limitada de desenvolver suas próprias ideias e progredir. Entretanto, quando há o COmprometimento e o somatório de forças, o resultado será muito mais COmpleto, criativo e gratificante.

O COworking vem na contramão do mundo individualizado, pois estimula a troca de experiências visando COmpor um ambiente que transpire boas energias e favoreça a produtividade e o sucesso dos negócios. É uma escolha COerente.

Temos todo esse “co” do trabalho coletivo dentro do nosso CírculO.

Venha nos fazer uma visita.

Por Juliana Carrano

startup-594090_960_720